Glória de Dourados, 30 de Março de 2020
Terça, 24 de Março de 2020 - 08h08
Potenciais candidatos à prefeitura concordam com possível adiamento das eleições
Na semana passada, o Plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu por unanimidade manter o prazo de filiação para se candidatar em 2020, no dia 4 de abril.

DouradosNews

Potenciais candidatos à Prefeitura de Dourados concordam com a sugestão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, de adiar as eleições municipais deste ano em todo o Brasil. De forma unânime, apontam que a prioridade é superar a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e há até sugestão de destinar o Fundo Eleitoral para esta finalidade.

Na semana passada, o Plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu por unanimidade manter o prazo de filiação para se candidatar em 2020, no dia 4 de abril. Além disso, o jornalista e advogado Noemir Felipetto, colunista do Dourados News, lembrou que o calendário eleitoral já foi publicado e os prazos estão sendo cumpridos. (saiba mais)

Presidente da Câmara de Dourados, o vereador Alan Guedes oficializou no domingo (22) sua filiação ao PP (Partido Progressista). Ele deixou o DEM (Democratas) após mais de 10 anos justamente com o objetivo de disputar as eleições municipais deste ano na condição de candidato a prefeito.

No curto prazo, reconhece ser preciso concentrar todos os esforços econômicos e sociais para superação dessa crise. “Analiso sob dois aspectos. O primeiro, a eleição tem custo alto do ponto de vista da própria estrutura organizacional da Justiça Eleitoral, do Fundo Eleitoral que o Congresso aprovou. É um valor considerável que poderia ser aplicado nas medidas de combate à doença, prevenção e na recuperação econômica e social pós a crise do coronavírus. Por outro lado, eleições periódicas são o fundamento e a razão de ser da democracia, para população manifestar sua intenção de trocar ou manter os detentores de cargos políticos”, ponderou.

Contudo, Alan Gudes considera ser cedo para avaliar a questão do adiamento da eleição embora saiba da dificuldade para realização mesmo que ela seja mantida para outubro. “Você não faz eleição sem contato com a população, aglomeração. Se precisar adiar, todos os interessados têm que entender que isso é uma necessidade especial, algo que nunca vivemos, um caso super sensível. A ideia é concentrar os recursos e esforços para ações econômicas, sociais do combate, prevenção e recuperação da crise.  Se tiver que adiar, todo mundo vai entender. Não adianta fazer eleição sem poder conversar com as pessoas, sem poder sair na rua”, acrescentou.

Potencial candidato do PSDB a sucessão da prefeita Délia Razuk (PTB), o deputado estadual Marçal Filho considera que a sugestão de adiar as eleições municipais deste ano deve ser levada em consideração. “Se o ministro da Saúde acha isso, vamos adiar as eleições. O momento é de pensar só na questão do coronavírus”, pontuou.

“Eu sou favorável e vou sugerir ao meu partido a nível estadual e principalmente nacional que todo recurso do Fundo Eleitoral destinado para essa eleição seja todo devolvido para o combate ao novo coronavírus. São R$ 2 bilhões para todos os partidos. Acho que todos os partidos deveriam fazer isso, colocar esse recurso a disposição do combate à doença”, informou, destacando, porém, que não é sequer pré-candidato a prefeito de Dourados, embora tenha o nome ventilado para disputa no meio político.

Também deputado estadual, Renato Câmara (MDB) disputou a Prefeitura de Dourados em 2016 e é um quadro mantido pela sigla no município. Mesmo assim, aponta que o pleito deste ano deve ficar em segundo plano.

“A sugestão do ministro é muito válida, porque nesse momento não existe nada mais importante do que discutir a questão do coronavírus. É uma pauta nacional e temos que nos unir, políticos, partidos, população, em um conjunto de esforços para que possamos superar essa pandemia. Toda a população está preocupada em discutir ações concretas para enfrentar essa pandemia que ainda está se instalando, ainda não está causando os danos que as projeções indicam. Quanto mais ações e ideias nós tivermos nesse sentido, vai minimizar os reflexos dela”, avalia.

“Diante disso, as eleições ficam em segundo plano. Se for possível fazer as eleições, se as pessoas estiverem seguras, se já tiver passado essa onda, tudo bem. Mas diante de uma situação como essa, que não se sabe o futuro ainda, quais serão os danos, eu acredito que futuramente vai se discutir o adiamento das eleições. Como o candidato vai fazer suas propostas? só pela internet? não pode colocar em risco as pessoas e se você se contaminar acaba passando para um número grande de pessoas porque em campanha eleitoral você precisa ter diálogo, debate, aglomerações. Isso tudo, por ser vedado, impossibilita uma campanha eleitoral. Então eu vejo que provavelmente, por precaução e por razões racionais, óbvias, as eleições devem ser adiadas porque não estão na pauta de prioridades de todos nós”, definiu.  

Pré-candidato a prefeito, o deputado estadual José Carlos Barbosa, Barbosinha (DEM), não atendeu a ligação feita pela reportagem e nem respondeu a mensagem enviada. Outro pré-candidato, o farmacêutico Racib Harb (Republicanos) respondeu que iria enviar um posicionamento, mas ainda não o fez.

Dourados News também buscou um posicionamento da prefeita Délia Razuk, via assessoria de imprensa, mas não houve retorno até a publicação.

 
© 2012 - 2017 - GloriaInforma - Todos os Direitos Reservados