Glória de Dourados, 17 de Setembro de 2019
Segunda, 09 de Setembro de 2019 - 08h25
Campanha “Setembro Amarelo” terá atividades preventivas para casos de suicídio em Glória de Dourados
Suicídio: Precisamos falar sobre o tema
GLORIAINFORMA

O suicídio ainda é considerado como tabu na sociedade, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (2018), a média global da taxa de suicídios é em torno de 10,7 por 100 mil habitantes e variam conforme sexo, idade e país. O suicídio ocupa a terceira posição entre as causas de morte, aumentando cerca de 60 % nos últimos 45 anos, os índices mostram uma inversão na faixa etária mais acometida, ou seja, da mais idosa para a mais jovem, isto porque a adolescência é um período transitório em que o indivíduo se encontra em estado de vulnerabilidade e pode reagir com ideias suicidas em resposta a conflitos, sem contar a dinâmica familiar que também mudou muito nos últimos anos. Diante da realidade atual em que o comportamento suicida se tornou um problema de saúde pública, se faz necessário mais atividades voltadas a prevenção como a campanha “Setembro Amarelo”. Ações como estas podem contribuir na diminuição do número de casos.

Para as psicólogas Janine Uchida e Bruna Barroso, não falar sobre suicídio não diminui o seu índice. As tentativas são 20 vezes mais frequentes que o ato consumado, no qual a automutilação, ato de autoagressão muito frequente principalmente entre os adolescentes, pode ser uma maneira de reduzir a tensão, assim como uma forma de pedir ajuda, ato este que não deve ser menosprezado. Muitos são os fatores de risco para ocorrência de suicídios, que podem ser de ordem genética, psicológica, sociais e culturais, combinados com experiências dolorosas, tais como questões ligadas a sexualidade, história de abuso sexual, adoção, estresse pós-traumático, abuso de substâncias, uso patológico da internet, depressão e outros transtornos psiquiátricos.

Diante disso, fica o questionamento: “O que podemos falar sobre a dor, falta de opção ou sofrimento dessas pessoas?” De acordo com a psicóloga Janine Uchida, a combinação de vários fatores como problemas de ordem familiar, experiências traumáticas, relação amorosa infeliz ou frustrada, bullying e perda recente de um ente querido, são eventos que desencadeiam uma tentativa de suicídio principalmente por pessoas acometidas por depressão. Afirma ainda, a psicóloga Bruna Barroso, a necessidade de observar os sinais apresentados quando há ideação suicida, embora nem sempre sejam perceptíveis, por isso se faz importante o acompanhamento psicológico, e muitas vezes, psiquiátrico. Com este intuito a psicóloga Bruna vem realizando um grupo de apoio na prevenção de suicídios, uma parceria com a Gerência Municipal de Saúde de Glória de Dourados.

Em virtude do que foi mencionado as psicólogas ainda relatam sobre formas de ajudar uma pessoa em situação de risco suicida: Escutar o que a pessoa tem a dizer sem pré-julgamento Oferecer uma ajuda construtiva para o problema que motivou a crise e encorajar a pessoa a tomar uma atitude positiva para resolvê-lo Lembrá-lo das pessoas que lhe querem bem e desejam ajudar Tentar providenciar uma ajuda profissional de emergência Entrar em contato com o CVV (Centro de Valorização da Vida) pelo 188 Psicóloga Bruna Barroso CRP 14/07668-1 Psicóloga Janine Uchida CRP 14/05012-7 Rua Bento Machado Lobo 1887.

 

 
© 2012 - 2017 - GloriaInforma - Todos os Direitos Reservados